Doações

Nosso mundo está mudando rapidamente. Novas tecnologias estão surgindo e mudando a forma de agirmos em várias aspectos de nossa vida.

Isto também é verdade para o mundo religioso. Com o avanço da tecnologia, surgem formas de facilitar a operação de entidades, inclusive as igrejas.

Para nos ajudar na nossa adoração ao Senhor através de dízimos, ofertas e doações, a Florida Conference oferece agora uma forma automatizada de exercitarmos esta bênção, facilitando o trabalho de nossos tesoureiros e assistentes.
A partir de agora podemos praticar esta forma de culto online. Entre neste link abaixo e faça seu cadastramento e aproveito desta forma eficiente e segura de adorar a Deus!

Veja os vídeos abaixo com instruções

 

DízimosOfertasComo usar o Adventist Giving (vídeo)Using Adventist Giving (video)

O que é e o que significa o dízimo?

Está relacionado com um mandamento de Deus, pois como Soberano do Universo, reservou para Si o dízimo, e logo o estabeleceu como um concerto: “Trazei todos os dízimos a casa do tesouro” Malaquias 3:10. “Dever é dever, deve ser realizado por amor a Ele”. CSM, 90. “A negligência ou adiamento desse dever, provocará o desagrado divino.” – CSM, 67. Sendo que o governo de Deus respeita o livre-arbítrio, dizemos que Ele não obriga ninguém a segui-Lo. Este acordo poderá não ser executado nem aceito, mas quem procede assim terá que enfrentar as consequências. O princípio do dízimo se baseia em princípios tão duradouros como a lei de Deus.

Qual é o propósito do dízimo?

Para beneficiar o homem. “A fim de que o homem se pudesse tornar como seu criador de índole benevolente e abnegada.” – CSM, 15.
“Vi que o sistema do dízimo desenvolverá o caráter e manifestará o verdadeiro estado do coração.” – I TS, 237.

“Para avanço da obra de Deus na Terra” – CSM, 77

Qual é a diferença entre dízimo e oferta?

Dízimo:
Deus declara que é propriedade exclusiva Dele. Levítico 27:30: “Também todas as dízimas da terra, tanto do grão do campo, como do fruto das árvores, são do Senhor santas são ao Senhor”.
Nisto não temos o direito de escolher. Deus exige obediência total. As ordens têm de ser cumpridas. (Malaquias 3:10, Deuteronômio 14:22) fazendo-se uso do livre arbítrio.
Deus aceita tanto o bom como o mau. Levítico 27:32 e 33. Aqui Deus se preocupa não tanto pela qualidade, mas pela quantidade, pela parte que Ele reclama como Sua.
Embora o dízimo seja um dever, Deus espera que esta obrigação tenha a motivação do amor, um amor responsável, um amor que leva a obediência. João 14:15 e 15:10.

Oferta:
É “propriedade” do homem. Nós sabemos que o ser humano não é proprietário de nada. Sem dúvida, Deus nos permite considerar os nove décimos (depois do dízimo) como nossos, pois podemos usá-los conforme a nossa vontade. É por esta razão que podemos ofertar voluntariamente. Deuteronômios 16:10.
A quantia que damos está determinada pelo critério espiritual de avaliação e proporção das bênçãos recebidas I Coríntios 16:2; Deuteronômios 16:17; S. Lucas 12:48. Aqui também usamos a faculdade de escolha.
Deus somente aceita a oferta que é perfeita, porque esta representa a Cristo. Aquilo que mais preocupa a Deus é a qualidade. Malaquias 1:8; Levítico 22:21 e 22.
A motivação do amor é a única que Deus aceita, ainda que a oferta seja da melhor qualidade. A motivação está no doador. Deus olha o doador e sua oferta. Gênesis 4:4, IJoão 3:16. João 15:13.
Portanto, o dízimo é devolvido, ao passo que as ofertas são doadas voluntariamente. As ofertas são nossa resposta de amor e gratidão pelas bênçãos de Deus.